Seguidores

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Haiti. Escombros da exclusão.



Haiti. Escombros da exclusão.


Como entender tanto sofrer?

 Já eram excluídos
Com sede e fome
Sem nome...
Sem o mínimo
Olhares que vagavam
No limo...

Já eram órfãos
Da indiferença
Da desigualdade
Deste mundo cruel
Tudo que tinham
Era o riso fácil
O canto de esperança
Ao celebrarem o céu...

Como entender tanto sofrer?

Deliciavam-se
Com biscoitos de barro
Que dividiam entre si
Espera,
Incertezas...
Descalços
Sem pão...

E agora?
Tragédia, dor
E mais mortes
E quanta crueldade
Dos canais
Loucos por ibope...

Por quanto tempo
Terão ajuda?
Ou novamente,
Serão abandonados
A própria sorte...

Órfãos que sempre foram
Filhos das agruras
Num lar que já não possuía chão...

Ali, germinou o sonho da liberdade
Da escravidão...
E foram castigados
Pela eterna exclusão.

Agora, vagam dia e noite
Chorando a morte
De pais, mães, filhos e irmãos.


(Sirlei L. Passolongo)

7 comentários:

poeta entusiasta disse...

COM CERTEZA, A DOR HUMANA DOS HAITIANOS É TRÁGICA- FRUTO DE UMA
SOCIEDADE DESIGUAL COM POUCA OU NENHUMA
QUALIDADE DE VIDA!

Melissa disse...

....a mídia se encarrega de nos deixar mais revoltados com tanta injustiça....cometida......e aceita...por todos nós......Que Deus nos perdoe.....

vovó veruska disse...

E por ver tanto sofrimento e desigualdade, que fica sempre um ponto de?

gijoguiaju disse...

... Pois é Sirlei!

E neste grito silencioso de socorro, nos olhares deste povo sofredor que clama por um pedaço de pão...

Que Deus os abençoe!

evangelista disse...

Com certeza, poetisa, e leitores, não fosse tremenda a corrupção e o egoísmo e a insesatez e todos ospovos poderiam viver dignamente.
Obrigado Sirlei

Cida disse...

Obrigada Sirlei por falar desta real e triste situação...desigual..desumana...
Deus tenha misericordia..porque os homens do poder????

Adriana Paranhos Leal disse...

MINHA POETISA
ETERNAMENTE ME ENCANTAREI EM SEUS TEXTOS,LAGRIMAS E SENTIMENTOS VC TRAZ COM FORÇA DENTRO DA NOSSA ALMA
É MARAVILHOSO LER E SENTIR SUAS PALAVRAS...
BEIJOS ETERNOS
ADRIANA LEAL