Seguidores

sábado, 7 de novembro de 2009

Viagem







Deixo-me reger

pela saudade

que me leva

de volta

aos braços teus.



(Sirlei L. Passolongo)

2 comentários:

paulo disse...

Sirlei é a escritora dos poemas mais refinados e puros em simplicidade do Brasil do tempo presente.
A forma rigorosa do uso econômico das palavras, impõe à toda escrita de Sirlei uma virtuosidade ascética.
Sirlei é segura no ritmo e nuanças de verso à verso.
A densidade das palavras são na poesia de Sirlei não apenas símbolos ou metáforas do real do mundo da vida.
São a própria vida em seu pulsar!!!
São as próprias coisas do mundo em si.
São as próprias sensações do viver como uma viagem de venturas.
Na poesia de Sirlei as palavras extrapolam seus significados semânticos.
A poesia de Sirlei é o léxico dos afetos vividos.
É a materialização dos imaginários em experimentalismo de devaneios.
Sirlei não tem meios termos!!!!!
É contundente em sua missão de professora poetizada e poetizadora dos detalhes do cotidiano.
A agudeza das imagens poetizadas por Sirlei são transfixante para a alma dos humanos.
A palavra sutil, singela,elegante de Sirlei é de uma sofisticação lírica rara.
Um diamante para que as lê.
Um dom e talento de poucos escritores poetas.
O poema de Sirlei é aparentemente despretensioso de grandezas literárias.
É justo ai que a humildade da jovem e sensível moça do interior ganha cosmopolitismo.
Com habilidade de artesã vai tecendo um lirismo profundo e universal.
A poesia de Sirlei tornasse constituinte de expressiva comunicação poética.
É a esperanças dos sentidos e afetos de humanização das vidas.
Os poemas de Sirlei ao sugerir e descrever as emoções são deliciosos.
São a vida!!!!!!!!
Paulo Baía.
28 de dezembro de 2009.
Rio de Janeiro,RJ.

paulo disse...

Sirlei é a escritora dos poemas mais refinados e puros em simplicidade do Brasil do tempo presente.
A forma rigorosa do uso econômico das palavras, impõe à toda escrita de Sirlei uma virtuosidade ascética.
Sirlei é segura no ritmo e nuanças de verso à verso.
A densidade das palavras são na poesia de Sirlei não apenas símbolos ou metáforas do real do mundo da vida.
São a própria vida em seu pulsar!!!
São as próprias coisas do mundo em si.
São as próprias sensações do viver como uma viagem de venturas.
Na poesia de Sirlei as palavras extrapolam seus significados semânticos.
A poesia de Sirlei é o léxico dos afetos vividos.
É a materialização dos imaginários em experimentalismo de devaneios.
Sirlei não tem meios termos!!!!!
É contundente em sua missão de professora poetizada e poetizadora dos detalhes do cotidiano.
A agudeza das imagens poetizadas por Sirlei são transfixante para a alma dos humanos.
A palavra sutil, singela,elegante de Sirlei é de uma sofisticação lírica rara.
Um diamante para que as lê.
Um dom e talento de poucos escritores poetas.
O poema de Sirlei é aparentemente despretensioso de grandezas literárias.
É justo ai que a humildade da jovem e sensível moça do interior ganha cosmopolitismo.
Com habilidade de artesã vai tecendo um lirismo profundo e universal.
A poesia de Sirlei tornasse constituinte de expressiva comunicação poética.
É a esperanças dos sentidos e afetos de humanização das vidas.
Os poemas de Sirlei ao sugerir e descrever as emoções são deliciosos.
São a vida!!!!!!!!
Paulo Baía.
28 de dezembro de 2009.
Rio de Janeiro,RJ.