Seguidores

sábado, 28 de fevereiro de 2009

O Estranho







Ele era o homem que eu havia sonhado
sem muitos predicativos que pudessem torná-lo
diferente dos demais... Mas era aquele homem
que me deixava de pernas bambas.
Ele me despia num olhar cheio de malicias,
mordia os lábios a torturar-me de propósito
e cada vez mais insanos
tornavam-se meus pensamentos.
Aquele homem estava diante de mim
e me beijava com os olhos

até desaparecer doutro lado da rua movimentada.

(Sirlei L. Passolongo)

2 comentários:

TINA disse...

LINDO AMEI PARABENS!!!

Lustato Tenterrara disse...

Lindo poema.
Leva-nos a imaginar sê-lo uma realização com as "pernas bambas", mas finda, inexorável, com o "estranho" sumindo na distância.

Parabéns.
Tenho lido seus poemas, e encantado-me com sua poética.

Abraço.
Lustato

PS.: Localizei este poema na Comunidade Sirlei Passolongo, na nossa Rede Brasil Poesias, vez que fiz um copy & paste de uma folha de deste seu blog, deixando os links ativos aqu para seu blog, inclusive os links de comentários e outros.
Espero sua visita (e possível adesão), e autorização.
bj.
Lustato