Seguidores

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

O Menino do Semáforo



Hei!
Olhe o menino que passa
Olhe...
Nem que seja através da vidraça

Nas mãos um pacote de bala
Nos pés um chinelo gasto
Na boca...uma voz que cala
Segue todos os dias o mesmo rastro

Caminha na multidão
Procura um semáforo movimentado
Espera vender suas balas
Ganhar um mísero trocado
Ninguém o vê
Ninguém percebe
Ele nunca é notado
E ele segue...

Segue seu destino ingrato
Sem culpas
Segue sem trato
É mais um entre tantas crianças
Sem comida em seu prato
Essa é a nossa criança esperança!
Ninguém o vê
Ninguém percebe
Parece rotina de fato

Segue no sol, segue na chuva.
No verão ou no inverno
É esse o menino que passa
Olhar triste, sorriso terno.
E nós ficamos aqui
Escondidos atrás da vidraça
(Sirlei L. Passolongo)
Direitos Reservados a Autora

3 comentários:

Chirlei disse...

Oi, Sirlei! Parabéns pelo poema! Já li inúmeros poemas seus, mas para mim, este é um dos melhores! Muita sensibilidade, muito lirismo... Simplesmente, magnífico!!!

maria disse...

ola,Sirlei!
amo seus poemas,vc é simplesmente
magnifica,sou sua fã,que Deus a conserve sempre essa pessoa maravilhosa.beijos no coração.

mirian rossi disse...

olá, Sirlei! Leio sempre seus poemas e adoro todos. Parabéns! bjs